Fugir ao crime do “nada para fazer”